LAB NEWS
 
 

Rejei┴ôo ativa circuitos da dor no c╚rebro

SALVADOR NOGUEIRA
10/10/2003

doloroso ser exclu╠do de uma festa --literalmente doloroso. Segundo um grupo de psic█logos da Universidade da Calif█rnia, os mesmos circuitos do c╚rebro que processam o inc┘modo de uma dor nas costas tamb╚m lidam com a rejei┴ôo e a exclusôo social.

Eles descobriram isso ap█s submeter 13 voluntĚrios a um jogo, enquanto monitoravam suas rea┴×es cerebrais com imagens obtidas por ressonĺncia magn╚tica.

No jogo, os pesquisadores pretendiam investigar dois tipos de exclusôo social, uma supostamente ocasionada por problemas t╚cnicos e outra intencional, provocada por outras pessoas. Para isso, criaram o seguinte estratagema: colocaram o voluntĚrio junto ao aparelho de ressonĺncia, de frente para um monitor de computador que mostrava dois outros supostos participantes. O jogo consistia simplesmente em jogar a bola para um dos outros jogadores, ap█s receb═-la.

No in╠cio, o voluntĚrio era informado de que ainda nôo poderia participar, por uma falha na conexôo com os outros dois supostos participantes. Assistia, impass╠vel, ao jogo dos outros dois.

Ap█s algum tempo, os cientistas comunicavam: a conexôo havia sido estabelecida. O jogo come┴ava normalmente, e o voluntĚrio recebia algumas bolas, mas, em seguida, os outros paravam de lhe passar a bola, voltando a jogar sozinhos. Na verdade, os dois outros jogadores eram controlados por computador, mas o voluntĚrio achava que eram duas pessoas, que, por alguma razôo, nôo queriam jogar com ele.

Ap█s o fim do experimento, os voluntĚrios reportaram perturba┴ôo ao se sentirem exclu╠dos, processo que foi correlacionado ř ativa┴ôo de uma Ěrea do c╚rebro conhecida como c█rtex cingulado anterior. ■ a regiôo normalmente associada ao inc┘modo causado por dores de natureza f╠sica, como uma tor┴ôo ou uma pancada.

Isso nôo quer dizer que as duas sensa┴×es sejam iguais. "Embora as dores f╠sicas e sociais sejam ambas "dolorosas", elas obviamente sôo diferentes. O elo comum entre as duas ╚ o elemento de inc┘modo associado ř atividade do c█rtex cingulado anterior", explica Naomi Eisenberger, que liderou a pesquisa publicada hoje na revista americana "Science" (www.sciencemag.org).

"Em pacientes com fortes dores cr┘nicas, algumas vezes ╚ realizada uma cirurgia na qual ╚ lesada parte do c█rtex cingulado anterior. Ap█s essa opera┴ôo, os pacientes reportam que, embora ainda possam sentir a dor, ela nôo os incomoda mais", diz.

Eisenberger acha que seus estudos jĚ podem ter utilidade prĚtica, no planejamento de tratamentos psicol█gicos ou psiquiĚtricos.

"Se hĚ realmente uma sobreposi┴ôo entre dor f╠sica e social, entôo afetar um tipo de dor deve afetar o outro", diz. "Por exemplo, se estivermos na presen┴a de um companheiro pr█ximo, talvez consideremos a dor f╠sica menos inc┘moda. Em contraste, se estivermos experimentando algum tipo de separa┴ôo social por perda ou rejei┴ôo, poderemos ficar mais sens╠veis ou incomodados por dores no corpo. Ter consci═ncia disso pode ajudar psic█logos e m╚dicos a entender melhor e a tratar ambos os tipos de dor."